VOLTAR

Inovação

TV vertical: sua televisão está evoluindo e quer ficar de pé

O anúncio já era mais do que esperado pelo mercado e pelo hábito de consumo de uma enorme parcela de usuários de todo o globo. A TV vertical deixou de ser uma “gambiarra” cada vez mais ensinada em vídeos tutoriais no YouTube de como adaptar TVs comuns para o formato 9:16 para ser um produto oficial da gigante coreana Samsung, que lidera o segmento e as inovações do setor.

Batizada de The Sero, o aparelho faz parte das linhas Serif TV e The Frame, ambas lançadas em 2018, e possui um tamanho único de 43 polegadas. Ele possui uma base giratória acoplada à tela que permite deixá-la tanto na posição horizontal quanto na vertical, de forma prática e quase instantânea. 

Aí você pensa, por que cargas d’água eu precisaria de uma TV vertical? Aí a gente te responde que: 1. Você pode não precisar, mas milhões precisam, senão uma gigante não teria perdido tempo em desenvolvê-la. 2. Os vídeos estão dominando o mundo, como o shoyu domina todos os sabores do universo. 3. Não adianta você ser de uma geração anterior, o formato 9:16 (vertical) é o dominante graças aos Stories, IGTV e Snapchat. 4. Todo mundo vê um monte de vídeos no smartphone. 5. Pode ser legal ver vídeos legais numa TV legal de 43 polegadas.

Mas como diria um antigo anúncio televisivo, “não, não compre agora”. A Samsung investiu em outros atributos, diferenciais que tornam a Sero um objeto de desejo de quem gosta do conforto da sua casa e quer ver sua seleção de vídeos das redes sociais. A TV conta com a tecnologia de pontos quânticos e conexão NFC para um rápido emparelhamento com celulares e tablets, e é compatível com a tecnologia de comandos de voz Bixby.

Definitivamente a Sero é um equipamento “social media friendly” ou “internet friendly”, já que também possui um potente sistema de áudio de 60 watts RMS e 4.1 canais, e permite que o aparelho seja usado com um programa de streaming a partir de um smartphone como uma caixa de som sem fio. 

Para quem gosta de dados (a gente gosta de dados), a Sero tem um território, como dizem no funk, “favorável”. Segundo o Google, 70% de todas as visualizações do YouTube acontecem em tablets e smartphones. Se a comodidade conquistar uma fatia desta audiência, imagina a demanda de mercado?